fundo primeira materia.png

WEBCOMICS
BRASILEIRAS
E O DESIGN

Smartphones, notebooks e computadores fazem parte da vida de muita gente, e é pela facilidade de acesso que vários produtos e serviços migraram para esse universo digital, em especial as histórias em quadrinhos que tiveram que se adaptar para sobreviver e evoluir em um novo veículo de distribuição, surgindo assim as webcomics.

texto Mayara Tolezi • design e edição Pablo Rocha

LEITURA POR ROLAGEM

Diferente de possuir um livro em mãos e passar as páginas manualmente, as telas possibilitam uma leitura por “rolagem”, onde o conteúdo vai passando com o mínimo de esforço, e é esse modo de visualização que influencia o presente e futuro das HQs, a união desses dois elementos (digital e comics) criou um novo ser chamado de “webcomic”, onde a tradução se encaixa em algo como “quadrinhos digitais”, possuindo um estilo diferente de diagramação - forma como os elementos são organizados na página - mais simples e prático.

1.

IMAGEM CompuServe: serviço onde foi publicado o primeiro comic online, em 1985.

HISTÓRIA E PLATAFORMAS

quarentaioito.png
reidelataa.png
setimoos.png

As primeiras webcomics vem lá da década de 90, acredite ou não, elas eram feitas em sites escolares dos Estados Unidos; Scott McCloud é um quadrinista americano, e em seu livro “Reinventando Quadrinhos” fala da capacidade de liberdade para os roteiristas e ilustradores, e é pensando nesse potencial que as coisas complicam, como transferir o estilo clássico das HQs para um monitor? 

Quem consegue responder essa pergunta da melhor forma atualmente são as webcomics disponibilizadas gratuitamente em sites como: Webtoon e TAPAS, que seguiram o curso da página infinita. Para entender melhor é só imaginar um rolo de papel higiênico e colocar uma comic nele, o modelo tradicional ia ter vários requadros (quadrados onde ficam os desenhos) e muitas falas em uma organização mais complexa, mas nas webcomics todos esses detalhes são reduzidos, os requadros maiores e hierarquizados de forma que o leitor faça uma leitura vertical mais dinâmica. 

Então que tal dar uma olhada nas webcomics com essas recomendações de histórias gratuitas e brasileiras disponíveis no TAPAS feitas pela equipe da AVIA?

FONTES Sites: apenasumchico, Tapas e Wikipedia
IMAGENS 1. Wikimedia 2. Tapas 

fundo 48km.png

COMO CHEGAR NO CRUSH NO BUSÃO?

48km capa.png

texto Mayara Tolezi e Luana Batinga 
design e edição
Luana Batinga

Se elas soubessem, esse quadrinho acabaria no primeiro capítulo!

Jade e Kelly são personagens criadas por Iara antes mesmo de ela conhecer sua noiva, Isabella, contudo, é quase cômica as semelhanças entre autora e obra - a diferença de altura presente nos dois romances -, pelas publicações

da Iara no twitter um pouco da vida pessoal dela é compartilhada, rendendo histórias que poderiam muito bem fazer parte de sua webcomic.
Como a vez em que a autora machucou o pulso ao dar um tapa na bunda de Isabela!

A webcomic conta a história de Jade e Kelly, duas garotas de diferentes idades, gostos e estilos de vida que se conhecem por pegarem o mesmo ônibus todos os dias, esse evento cotidiano faz com que as duas criem sentimentos uma pela outra, mas devido a suas diferenças elas não tem coragem de se declarar e tentam da própria maneira demonstrar o amor que sentem.

A obra é a primeira publicada pela autora e conta com uma tradução para o inglês. 48km chegou a ser pirateado em sites que disponibilizam conteúdo para leitura de forma ilícita o que levou Iara a fazer um vídeo brincando com o ocorrido e agradecendo o sucesso da história.

FICOU SABENDO?

Personagem esquerda.png

“Ler 48km faz a bunda crescer.” - IaraNaika

tt .png

A diversidade natural de 48km

Na webcomic, tanto o romance entre Jade e Kelly quanto a identidade e expressão de gênero de outros personagens

é narrado de maneira natural.
A personagem Duda, introduzida no capítulo 3, uma das melhores amigas de Kelly, é transexual. Isso é deixado explícito num Q&A feito pela Iara, onde quando questionada sobre o elenco de dublagem hipotético para a série, Duda é dita sendo interpretada por Fernando Mendonça.

trecho diversidade.png

O personagem Junior, no capítulo 7 “meu tipo de mulher”, para ajudar Jade

a treinar chamar Kelly para sair, faz um cross-dressing*, e outro personagem, Robson, deixa claro que o ato de se vestir de mulher

e performar faz parte dos shows de Junior. O que leva o leitor a concluir

que ele é uma drag-queen, ou ao menos já trabalhou como uma.

trecho diversidade 2.png

*cross-dressing 

_____________________________

Ato de se vestir com itens
associados a outro gênero

personagem direita.png

FONTES Sites: Tapas, Metropoles.
IMAGENS 1. Tapas 2. Twitter 3. Tapas 4. Tapas

 
fundo rei de lata.png

UM UNIVERSO PÓS APOCALÍPTICO EM UM TRAÇO ÚNICO E CARTOONIZADO

Jefferson Ferreira entrega uma webcomic com temática adulta desenhada com um estilo infantil, muita ação e tensão estão presentes nas páginas de Rei de Lata.

texto, design e edição Mayara Tolezi

A sinopse

Duas grandes nações entram em guerra e uma potente arma biológica é usada, sua capacidade destrutiva pode desconstruir o organismo de qualquer ser vivo em alguns meses, as nuvens alaranjadas foram uma consequência do ataque e o ar se tornou extremamente nocivo, o que não contavam eram que as crianças seriam afetadas após a guerra, sofrendo alterações genéticas ainda na barriga da mãe que resultaram na habilidade de conseguir respirar sem problemas o ar contaminado e desenvolver poder quando colocados sob situações de estresse, o que gerou uma violenta repressão por parte dos adultos que passaram a temer o poder dessa nova geração.

Novidades

A arte da obra é de tirar o fôlego, contando com páginas coloridas e um traço que mistura o cartoon ao HQ, o sucesso e qualidade foram tantos que a webcomic ganhou uma versão impressa pela editora NewPOP que também publicou títulos como koe no katachi (a voz do silêncio), Madoka Magica e Solo Leveling, os volumes 1 e 2 estão disponíveis no site oficial da editora e pela Amazon.

tt autor.png

Siga o autor no Twitter

O Rei da Lata ainda possui uma spin-off chamada “LEÕES”, a arte não é feita pelo autor, e sim pelo seu irmão e artista Gilton Ferreira, para quem não conhece o termo citado anteriormente, spin-off de uma maneira geral são subprodutos gerados a partir de projetos maiores, assim como a história que o originou, ele também está disponível gratuitamente no Tapas.

leoes.png
rei de lata faixa cópia.png

Autor e Ilustrador: Jefferson Ferreira
Quantidade atual de capítulos: 41
Gênero: Fantasia

rei de lata faixa.png

FONTES Tapas - Webcomic “Rei de Lata”, Twitter @PandaDeCapa.
IMAGENS Tapas e twitter do autor

arthur.png

Conheça alguns personagens da webcomic Rei de Lata!

“SOMOS O CORAÇÃO DO LESTE”

chico.png
esther.png
jose.png

“A GENTE DEVERIA CHUTAR O

TRASEIRO DELE”

“NINGUÉM VAI TOCAR NOS MEUS AMIGOS!!!”

“EU SEREI O REI 
DESSE MUNDO!”

fundo sete amarelo.png

O QUE NÃO PODE FALTAR AO CRIAR UMA HISTÓRIA BASEADA EM MITOLOGIA BRASILEIRA?

Pesquisa. Assim respondeu Lorena Herrero a um leitor em seu
instagram. A autora e ilustradora traz essa temática com uma
abordagem bem atual na webcomic “Sétimos Filhos”.

A HISTÓRIA

A webcomic é a escolha certa para quem se interessa em conhecer
um pouco sobre o folclore brasileiro e ainda dar boas risadas.
A história é composta por mais de 30 episódios curtos e coloridos
repleta de personagens divertidos e interessante e, junto com
o bom humor, é trazido bastante conhecimento e curiosidades
sobre esse tema tão pouco explorado, através de muito
estudo e pesquisa realizado pela autora.

SOBRE A AUTORA

A Lorena Herrero, que atende também pelo nome de
“hetthepumpking” é brasiliense, ilustradora, quadrinista, designer e claro, grande pesquisadora do folclore brasileiro, intitulada como “rainha dos lobisomens”.

Aos 26 anos, Het também desenha personagens para projetos
pessoais e jogos indie. E além de ”Sétimos Filhos” é autora de outras webcomics como “The One in The River” e “Súplica”, também voltadas para o místico e suas criaturas.

  • Instagram
  • Twitter
  • Facebook

ALESSANDA

• 7° filha de uma família com
mais 6 filhas mulheres;
• Bruxa;
• Irmã gêmea de Antônio.

alessandra.png
alessandra sombra.png
tapas.jpg
lorena ilustra tt.png
lorena foto tt.png

texto Mayara Tolezi • design e edição Pablo Rocha

fundo setimos 2.png

PERSONAGENS

Antônio e Alessandra são gêmeos, se esse por si só já é um evento raro, então as maldições que rondam a vidas desses dois são algo ainda mais inusitado, o irmão pode se transformar em lobisomem e a irmã é uma  bruxa, os dois precisam dividir sua vida entre humanos e outros seres do folclore enquanto tentam sobreviver a vida adulta.

Alguns dos seres mitológicos que você irá encontrar nos quadrinhos são:

MULA SEM CABEÇA

SACI PERERÊ

BESTA-FERA

antonio.png

ANTÔNIO

• 7° filho de uma família com
mais 6 irmãs mulheres;
• Lobisomem;
• Irmão gêmeo de Alessandra.

ONDE ACESSAR E COMO APOIAR

Você pode encontrar “Sétimos Filhos” na plataforma Tapas, disponibilizada gratuitamente junto com muitas outras webcomics nacionais.
A autora também possui uma campanha no catarse ao qual atende pelo nome de “hetthepumpking”, a assinatura mensal ajuda com que a webcomic continue a ser produzida e ainda premia os assinantes dependendo do valor pago, e caso você queira acompanhar notícias sobre produções voltadas ao folclore não só o catarse é uma opção como também acompanhar a autora nas  suas redes sociais. 

No plataforma você pode clicar no botão “support” e escolher quantos inks (moeda do Tapas) quer usar para apoiar o quadrinho.

Você pode conseguir inks tanto comprando com dinheiro real como gratuitamente respondendo questionários ou assistindo algumas propagandas.

antonio sombra.png

FONTES Tapas - Webcomic “Sétimos Filhos”, ArtStation HET e redes sociais da autora
IMAGENS ArtStation HET e redes sociais da autora

fundo fim.png

VISIBILIDADE

Em quesito webcomics infelizmente o Brasil ainda é muito ofuscado, a Coréia acabou por se tornar o “berço” dos quadrinhos digitais e influenciar mundo a fora a diagramação e estilo das webcomics, por isso o público brasileiro que existe para esse tipo de conteúdo acaba consumindo as obras lá de fora sem nem mesmo dar chance para os esforçados artistas do seu próprio país

texto Mayara Tolezi • design e edição Luana Batinga

Essas recomendações são algumas das várias incríveis histórias que existem por aí sendo produzidas por alguém que pode ser o seu vizinho ou o cara que comprou pão na mesma padaria em que seu primo de terceiro grau por parte de pai vai, ou melhor ainda, você! 

O cenário brasileiro é novo e inexplorado, estando em constante desenvolvimento e possuindo conteúdo de sobra em uma cultura rica e popular, com um grande potencial para criação de um estilo novo e único só do Brasil. As webcomics ainda não possuem uma receita fixa e continuam se moldando para atender a um público que vem deixando de lado os preconceitos da comparação entre mídia física e digital, aproveitando a facilidade de acesso e diferença de preços.

 

E pra quem quer ajudar esses talentosos artistas verde e amarelos que foram trazidos aqui pela AVIA o site TAPAS conta com uma moeda chamada “ink”, caso você não possua formas de pagar pela moeda, não se preocupe, há outras maneiras de consegui-la
e a divulgação também é
uma forma de apoio.

 

todos.png

FONTES Sites: apenasumchico e Tapas
IMAGENS Tapas